Investimento em Dividendos Explicado

Por Mindaugas Vaičiulis

No Bankera, pretendemos empoderar os nossos utilizadores ao fornecer-lhes, não só serviços financeiros, mas também conhecimento financeiro. Assim, sempre que temos oportunidade, partilhamos a nossa perspetiva interna sobre princípios bancários, finanças e investimentos no nosso blog. Esta semana decidimos debruçar-nos sobre investimento em dividendos, uma estratégia de investimento que se foca nos dividendos enquanto fonte importante de retorno esperado.


O que são empresas pagadoras de altos dividendos?

As empresas pagadoras de altos dividendos são negócios bem-estabelecidos com fluxo de receita relativamente estável, que normalmente cobrem uma parte significativa do mercado ou que têm mesmo o monopólio, como serviços, telecomunicações, entre outros. Tais empresas têm pouco potencial de crescimento rápido no mercado, o que limita o seu potencial de crescimento de preço. Terá então de escolher entre pagamentos de alto dividendo e manter a esperança de crescimento de preço. Infelizmente, não será possível ter os dois.

Em oposição, as empresas com crescimento rápido por norma precisam de financiamento adicional. Estas emitem novas ações e títulos e não pagam dividendos durante a sua fase de crescimento exponencial.

A política de dividendos dá alguma certeza aos investidores. Esta declara as intensões de gestão e controlo dos acionistas relativamente aos dividendos. As políticas podem definir dividendos estáveis, velocidade de crescimento ou determinar percentagem de lucro paga enquanto dividendo.

Ainda há riscos

A política de dividendos não é uma promessa, mas antes uma carta de intenção que pode ser alterada ou destruída por fatores como má gestão ou mesmo azar. Em todo o caso, os dividendos poderão apenas ser pagos quando a companhia obtiver lucro – os investidores que possuem altos dividendos devem preparar-se para alguns anos de seca.

Ainda que as empresas mais estabelecidas possam demonstrar menor flutuação do preço das ações, o investimento igualitário está sempre exposto a alto risco. Mesmo cinco anos de acumulação de rendimentos dos dividendos podem facilmente ser destroçados por uma alteração negativa no preço das ações apenas em alguns trimestres, quando a empresa ou a economia em geral são atingidos.

O rendimento de dividendos é o indicador principal para os investidores. Compara o último dividendo pago por ação com o preço atual das ações. Por outras palavras, mostra o retorno anual que pode esperar ganhar com os dividendos se comprar ações com o mercado atual e partindo do princípio que os dividendos se manterão iguais. O rendimento de dividendos é sempre expresso em percentagem por ano, independentemente de estes serem pagos de forma anual semestral ou trimestral.

O próximo indicador a analisar é o rácio de crescimento de dividendo.

Quem deveria investir?

Mais investidores avessos ao risco poderiam optar por ações que pagam dividendos mais elevados. Isto porque estas podem trazer mais conforto quando há uma perda no portefólio de ações dos investidores. Felizmente, esta abordagem pode ajudar a evitar negociações emocionais durante os períodos mais complicados.

Os iniciantes podem começar por este tipo de investimentos primeiro para testar as suas reações psicológicas às flutuações das ações.

A minha história

A inspiração para escrever este artigo vem da oferta pública inicial (IPO) do Grupo Lituano Ignitis, cujo período de subscrição termina esta semana, no dia 1 de outubro. A IPO deverá ser a maior nos Países Bálticos, com rendimento de dividendos esperado de 4-5%. Em casos como este, os amantes de dividendos, eu incluído, têm maior segurança de que a gestão irá partilhar o lucro da empresa com os acionistas minoritários.

Adicionei dividendos de ações e fundos ao meu portefólio após a crise financeira de 2007-2009, uma vez que estava hesitante em comprar o lote completo do mercado no início da sua recuperação. O portefólio consistia em ações de serviços energéticos e de água a partir do meu mercado nativo nos Países Bálticos quando os seus rendimentos de dividendos eram de até aos 10 porcento. Comprei ainda um fundo de câmbio comercial focado em dividendos (ETF), nomeadamente o DivDAX alemão, já que que o rendimento de dividendo excedia a minha taxa de amortização. Criar a nossa própria lógica pode ser uma boa ajuda!

Mindaugas Vaičiulis é o CFO externo da UAB Pervesk, um parceiro e patrocinador da licença de dinheiro eletrónico do Bankera. Antes de se juntar à nossa equipa, foi Diretor Executivo do Serviço Bancário do Banco Central da Lituânia entre 2012-2019.